EDIçÃO 2020
31 OUT – 31 DEZ

MIP – Mês da Imagem do Porto - é uma iniciativa do coletivo de galerias FORUM fotografia/filme PORTO que visa dinamizar iniciativas na área da fotografia e do vídeo. A terceira edição do MIP, inicialmente calendarizada para abril, inaugura no último dia de outubro prolongando-se até ao fim do ano. As estruturas envolvidas nesta edição são: Espacio Jhannia Castro, Espiga, Galeria Adorna, MIRA FORUM, OPPIA, Salut au Monde! e The Cave Photography.
© Lionel Jusseret
Espacio Jhannia Castro

Exposição

LUGAR-RIO, Paisagem Polissémica

Adélia Gonçalves

QUA 04 NOV – SEX 04 DEZ

Bardo, Rua Adolfo Casais Monteiro 117, 4050-014, Oporto
A partir de sequências fotográficas realizadas em cidades como Porto, Paris ouSão Paulo, Adelia Gonçalves tem realizado uma produção serial que se orienta à ideia de imagem globalizante, composta por fragmentos consequentes de pequenos deslocamentos e mudanças de ponto de vista. Esta construção constituída por um conjunto de imagens de diversos percursos, aproxima-se da sua experiência da paisagem vivida, e por vezes, associa-se e confronta-se com outros pontos de vista e interpretações sobre uma mesma realidade.

EXPOSIÇÃO | APRESENTAÇÃO DO LIVRO

STAGED, From the Potemkin Series

Gregor Sailer

QUI 12 NOV – SEX 11 DEZ | SEX 20 NOV – LANÇAMENTO LIVRO

Atelier SR, Rua Miguel Bombarda 224, 4050-377, Porto
Para descrever a arte da fachada, existe o termo Potemkin Village. O termo descreve e constitui uma impostura. Ele designa aldeias sugeridas por fachadas falsas que ocultaram a miséria aos olhos da Czarina durante sua visita pelas novas regiões ocupadas da Crimeia em 1787. Essa mentira circula há muito tempo para desacreditar Grigori Aleksandrovitch Potemkin, comandante em chefe do ExércitoRusso e amante de Catarina II. No entanto, o que era uma falsificação da história até o final do século XVIII é apresentado como verdade no início do século XXI.
© Gregor Sailer

APRESENTAÇÃO DO LIVRO

TRANSA - Baladas do último sol

Ângela Berlinde

ESPACIO JHANNIA CASTRO
Hardcover, 17,5x23cm, 185 pages.77 fotografias, 10 Bd notebooks, one quadratic page. Edição limitada, numerada e assinada de 300unidades.Poema de Aílton Krenak, autor brasileiro e líder de movimento indígenaTexto curatorial de VeronicaCordeiro, artista brasileira, curadora e autora. A apresentação do livro será em colaboração com o novo espaço do Atelier do arquitecto Sergio Rebelo y Materia Prima

Exposição

TRANSA, Baladas do último sol

Ângela Berlinde

SÁB 31 OUT – QUI 31 DEZ

Espacio Jhannia Castro
TRANSA dá o nome à mostra de Ângela Berlinde no Espacio/Jhannia Castro e surge como mote para uma reflexão sobre a existência contemporânea, ameaçada pelo limbo e brutalidade dos processos colonizatórios que agora se revertem. A Terra, neste tempo suspenso, parece ecoar um grito surdo que agrega todas as forças civilizatórias juntas - as repressoras e as subalternas, as da história majoritária e as minorias, a mulher, o negro, o indígena, o colonizador.
© Ângela Berlinde
ESPIGA

Exposição

Ceci n’est pas une chaise

Pedro Cadilhe

SEX 13 NOV | 19H

Quando a pandemia cá chegou, o confinamento foi uma das medidas implementadas, suspendendo a nossa liberdade e natureza social.
© Pedro Cadilhe

Exposição

Uzbequistão - Muita para além da Rota da Seda

Uzbequistão é um país com nome difícil de pronunciar na primeira vez, mas que rapidamente se entranha novo cabulário de quem gosta de descobrir destinos ‘B’ com culturas, histórias e verdades bem diferentes dos destinos ‘mainstream’ ou que são a última tendência da moda de viagens.
GALERIA Adorna

Conversa

Apresentação do projeto Highlights

Joachim Luxo

SEX 6 NOV | 15h – 16h

Galeria Adorna
Multiplicando os pontos de vista do mesmo objecto fotográfico (maciços montanhosos) e restituindo este no mesmo plano sob a forma de polípticos, o autor numa abordagem cubista de descomposição /reconstrução do motivo procede a transformação e criação de novas paisagens. Nesta nova “Cosmogonia”, é nas altas luzes que o autor encontra a sublimação da matéria. Dessa transfiguração condicionada pela vontade de não representar a paisagem, mais sim, a ideia de paisagem, nasce o mistério...

Exposição

Long time no see

Renata Siqueira

SEX 13 NOV | 12:30H – 18H (Inauguração)

Chegar a Pitões das Júnias, no Gerês, quase Galiza, é entrar noutro mundo. Um mundo em que a história de milhões de anos escrita na rocha pela água e pelo vento ecoa nas histórias com séculos das populações sempre rarefeitas que erraram por ali: pastores, contrabandistas, gente afeita à transumância e a chamar cada pedra pelo nome. A essa fronteira em que o prodigioso da paisagem confina com o mágico das histórias o que estas fotos trazem é um adicional de estranheza.

Conversa

Curadoria, o que é além de pregar?

Vitor Nieves

Nos últimos anos temos assistido à proliferação e promiscuidade do curador/a nas artes plásticas. Mas o que é realmente a curadoria? Precisará uma exposição, assim como um queijo, de ser curada?Nesta palestra faremos um percurso histórico do que é a curadoria e o papel de um curador ou curadora numa instituição ou como independente. Veremos os diferentes modelos de trabalho, as fases e as metodologias desde a criação do projecto pelo/a artista até este chegar ao espectador ou espectadora.‍
© Vitor Nieves

Conversa

IDENTIDADES QUEER NA PRÁTICA FOTOGRÁFICA

David Trulllo

O artista visual David Trullo falará do seu trabalho em relação com as questões de género, representação da masculinidade e identidade queer, junto com o trabalho de outros artistas instalados na mesma conceitualização política da arte, com a fotografia como suporte indispensável para confrontar estereótipos, revisar a história da arte e dar forma para expressar o que se conhece como arte de género.
MIRA FORUM

Exposição

PRESENTES! AFRICANOS E AFRO- DESCENDENTES NO PORTO

José Sérgio

SÁB 31 NOV | 16H

“Presentes! Africanos e Afrodescendentes no Porto” pretende constituir um primeiro registo fotográfico da atual presença africana e afrodescendente no Porto, documentando uma comunidade que parece estar em franco crescimento e em franca diversificação, apesar da escassez de instrumentos estatísticos e/ou sociológicos capazes de mensurar e caracterizar este fenómeno relativamente recente.
© José Sérgio

Conversa

Conversa com José Sérgio

MIRA FORUM
À luz do debate recente acerca da inclusão de uma pergunta sobre a origem étnico-racial da população portuguesa no próximo Censos 2021, considera-se pertinente fixar a diversidade dos modos de existência de uma comunidade ainda pouco conhecida e pouco reconhecida, contrariando o estereótipo de que o Porto se manteve imune aos fluxos migratórios oriundos do continente africano e, em particular, dos países sujeitos a colonização portuguesa.

Exposição

Imagens Periféricas 2020

SÁB 31 OUT | 16H

MIRA FORUM
É o sétimo ano consecutivo que se celebra a fotografia pinhole no MIRA FORUM expondo e debatendo esta abordagem muito especial e característica de fazer fotografia.
© Christian Poncet

PASSEIO FOTOGRÁFICO

Photowalk Pinhole

As câmaras pinhole além de proporcionarem uma visão próxima das grandes angulares e simultaneamente uma quase incapacidade de congelar os movimentos permitem, por outro lado, um (des)controlo de perspetivas diferentes.

Conversa

Porquê fotografia pinhole hoje?

MIRA FORUM
Adelino Marques, António M. Teixeira, Augusto Lemos e Rui Apolinário convidam ao debate numa mesa redonda em que entre outras questões nos interrogamos: quais as razões que explicam que hoje se continue a fotografar com câmaras estenopeicas/pinhole? Qual a compatibilidade desta prática num mundo dominado pelas novas tecnologias de captação de imagem fotográfica?
OPPIA

Workshop

Fotografia Pinhole

SEX 6 NOV | 18H – 21H e SÁB 7 NOV | 10H – 13H ∙ 14H – 18H

A fotografia Pinhole assenta no princípio da Camera Obscura e está na origem da fotografia.É, hoje, uma técnica alternativa de fazer fotografia sem recurso a equipamento convencional.

Cinema

Macau International Short Film Festival

SÁB 28 NOV | 17H – 19H

Com o intuito de promoveras indústrias criativas locais e descobrir talentos com competências nas áreas do som e da imagem em movimento, o Centro de Indústrias Criativas ( CreativeMacau ) e o Instituto de Estudos Europeus de Macau fundaram em 2010 o concurso anual de audio-visual “ Sound & Image Challenge “, que, desde este ano se intitula Festival Internacional de Curtas de Macau.

Workshop

Cianotipia e Encadernação

SÁB 12 e DOM 13 DEZ | 10H – 13H

A cianotipia é um dos primeiros processos de impressão fotográfica. Foi criado em 1842 pelo astrónomo e cientista britânico Sir JohnHerschel.Com esta técnica, Atkins, a primeira mulher fotógrafa, filha de um prestigioso botânico, realizou um exaustivo estudo do reino vegetal que publicou num livro feito a partir exclusivamente de fotografias realizadas coma técnica do cianotipo.

Cine – Concerto

DOURO FILME FESTIVAL

SÁB 28 NOV | 18H – 20H

OPPIA
O Douro Filme Festival – Festival Internacional de CinemaSuper 8mm do Porto é, actualmente, o único festival de cinema deste formato em toda a Península Ibérica e um dos poucos em todo o mundo. Criado em 2006, apresentou a sua 8ª edição em Dezembro de 2019 no Museu de Arte de Macau. Com o apoio da Casa de Portugal em Macau e do Creative Macau – Centro das IndústriasCriativas de Macau, a direcção do Douro Filme Festival convidou 9personalidades portuguesas e chinesas de Macau para rodarem cada uma um filme para o festival. 

Workshop

WORKSHOP DE FOTOGRAFIA ANALÓGICA P/B

SEX 4 DEZ | 18H – 21H e SÁB 5 DEZ | 10H – 13H ∙ 14H – 18H

A fotografia analógica é uma técnica fotográfica que envolve tirar fotografias usando filme. O filme é uma tira transparente coberta por partículas de prata. Para ser utilizado, o filme é instalado em numa câmara adequada. Quando expostas à luz, as partículas de prata reagem com mais ou menos intensidade dependendo da quantidade de luz refletida pelo assunto que está a ser fotografado.

Exposição

RÊVERIE : Odisseia

Mathilde Cudeville

SÁB 31 OUT | 18H

OPPIA
Mathilde Cudeville é uma fotógrafa francesa, nascida em 1989. Vive e trabalha no Porto.Depois de estudar arte na Sorbonne de Paris, concluiu o bacharelato em fotografia em 2014. Apaixonada pela imagem e suas possibilidades de expressão, que permitem contar todos os tipos de realidades, a sua prática artística gira em torno do médium fotográfico e da fotografia analógica.
© Mathilde Cudeville
SALUT AU MONDE!

Soundscape

O verão atrás a janela

Clara Alloing

QUI 5 – SÁB 7 NOV | 14:30H – 15:30H ∙ 16:30H – 17:30H

“O verão atrás a janela” é a primeira colaboração de Clara Alloing com Lionel Jusseret. Em paralelo às imagens que compõem a sua amostra, Jusseret registava os sons ao redor das crianças que as protagonizam. Aqueles audios, barulhos e conversas, tornaram-se numa paisagem sonora nas mãos da sua amiga e colega de estudos.
© Lionel Jousseret

Visita

Visita comentada com o artista

Lionel Jusseret

SEX 6 e SÁB 7 NOV | 18H

Inauguração (sexta-feira 6 de novembro, 18 horas) e visita comentada à exposição Kinderszenen com a participação do autor do projeto, o fotógrafo Lionel Jusseret. Repetição da visita: sábado 7 de novembro, 18 horas.
© Lionel Jusseret

Exposição

Kinderszenen, de Lionel Jusseret

Lionel Jusseret

SEX 6 NOV – SÁB 19 DEZ | 14H – 19H

ESPAÇO SP620 / SALUT AU MONDE!
Lionel Jusseret (Bégica, 1989) é um fotógrafo documentário que trabalha principalmente em projetos humanísticos de longo prazo. Em 2012, ao terminar os estudos noINSAS, escola belga de cinema e teatro, começou a fotografar crianças autistas na associação J'interviendrais. Durante quase dez anos, Jusseret passou as férias com elas. Muitas tinham uma forma grave de autismo, principalmente não verbal. Outras foram consideradas psicóticas, esquizofrénicas, com distúrbios comportamentais ou até abusadas. Ele confrontou crianças com doenças mentais de todo o tipo, mas quanto mais olhava para elas, como ele próprio reconheceu, mais pensava que só pareciam crianças. O resultado é Kinderszenen (ou Cenas de crianças), uma viagem onírica ao autismo, encarnada num grupo de jovens atípicos enquanto estão a morar fora do ambiente familiar. Prémio Levallois 2020.‍
© Lionel Jusseret
THE CAVE PHOTOGRAPHY

Lançamento do livro

guardar o fogo para dias de pouca luz

O projecto centra-se no arquétipo de mãe. Partindo de uma referência de proximidade, são explorados gestos, posturas e características comuns a um tempo e lugar. “Guardar o fogo para dias de pouca luz” compreende também o conceito de mãe como elemento, mãe-terra e mãe-natureza.
Maria Oliveira

SÁB 7 NOV | 16H

The Cave Photography
© Maria Oliveira

Exposição

guardar o fogo para dias de pouca luz

O projecto centra-se no arquétipo de mãe. Partindo de uma referência de proximidade, são explorados gestos, posturas e características comuns a um tempo e lugar. “Guardar o fogo para dias de pouca luz” compreende também o conceito de mãe como elemento, mãe-terra e mãe-natureza.
Maria Oliveira

SÁB 7 NOV – SÁB 21 NOV

The Cave Photography
© Maria Oliveira
Apoio: